Fotos Internet
 
 

Capítulo de hoje: o mundo está cada vez mais ro-ro-ro (eco do quadrilátero)

A macaca encosta a cabeça no tronco de seu aposento e resmunga: – Parece piada. Mas não é. Os jornais diários estampam manchetes do mundo cão sem dono. – Onde já se viu um ex-governante receber benefícios vitalícios mesmo tendo exercido o cargo por irrisórios 10 dias?Chega a beirar o absurdo de tão surreal. O Estado pesa nos ombros e onera os bolsos do contribuinte brasileiro em níveis descarados. A torneira aberta nas fuças da população não cessa a jorrar fortunas usadas para cobrir gastos de políticos que fizeram do serviço público uma profissão de carreira. Quantos ex-governadores, ex-presidentes, ex-ministros e ex (de tudo um pouco) existem no País? Pois as pensões destes cidadãos variam, para o resto de suas vidas, de R$ 15 mil a R$ 24 mil. Não suficiente, as mesmas são estendidas aos parentes do titular após registro de seu óbito. – Acredite se quiser. Quá!

Em Santa Catarina, a filha do ex-governador Hercílio Luz, morto em 1924, recebe do Governo uma quantia mensal de milhares de reais desde o falecimento do pai. No Rio Grande do Sul, o senador Pedro Simon tem, ou tinha, já que admite rever o pedido, a intenção de somar ao seu salário atual – de R$ 26,7 mil –, R$ 24 mil correspondentes ao valor de sua aposentadoria como ex-governador. – Por que ele ficaria fora da boquinha? Todos sabem que políticos custam aos cofres da Viúva, para utilizar um termo de Elio Gaspari, mais de R$ 100 mil por mês. A lista é extensa e inclui fartos adicionais, além do direito à moradia, a automóvel, a motorista, a combustível, a passagens aéreas, à hospedagem, à alimentação e a praticamente tudo. – Onde isso vai parar?, pensou ao virar a folha e pah, mais um título escandaloso: Obama cobra China por direitos humanos.

– Quadrilátero-ro-ro-ro-ro (eco). Ah! Ah! Ah! Eu me divirto com humanos. A cara de pau de uns não inibe a falta de vergonha de outros. Responda se puder: quem é Barack Obama para pressionar Hu Jintao no que diz respeito a direitos humanos? O presidente de um país que, para o “bem da humanidade”, aniquila povos mundo afora tem propriedade para exigir o que do presidente da China? Claro, os heróis do universo (tradução = norte-americanos) sempre deflagram guerras pela paz. Crã, crã. – Fala sério Mr. “King of the World”.

– Sim, os jornais estão de matar de rir. Ôpa, pera aí: ‘Baby Doc’ sugere volta à política no Haiti. Porta-voz de ex-ditador propõe anulação de 1º turno para que ele possa concorrer mesmo após o indiciamento. What? Ah! Ah! Ah! E esta criatura das trevas tem simpatizantes que empunham a sua foto estampada em medalhinhas de tamanho razoável. – Ai, Senhor, depois dessa, vou encerrar por hoje, senão não durmo. Ah! Ah! Ah!

A macaca, sem conter o riso, fecha o periódico e sai a exclamar:

– O mundo está mesmo cada vez mais ro-ro-ro (eco). Vixi!

Bom termo

agosto 26, 2008

Da esquerda para direita: Marina Cañas Martins, Guilherme Betiollo, Débora Lehmann, Ulisses Munarim e Cristiane Galhardo Biazin

A cerimônia de assinatura do Termo de Cooperação do Instituto Carijós Pró-Conservação da Natureza (IC) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) – realizada no dia 22 de agosto de 2008, no salão nobre da superintendência do IPHAN – selou uma relação bem sucedida de dois anos. A solenidade tornou oficial o trabalho desenvolvido nas escolas públicas do entorno da Estação Ecológica de Carijós, no Norte da Ilha, com a participação de profissionais do IPHAN em atividades dentro e fora de sala de aula. “Agregamos o conhecimento sobre a importância da valorização do patrimônio histórico ao projeto de educação ambiental que empreendemos nas escolas da capital”, afirma Débora Lehmann, presidente do IC.

Por meio do projeto Olho Mágico – um dos carros-chefe do Instituto Carijós – as crianças passam a conhecer de forma íntima o seu bairro, a sua realidade e o seu ambiente. A inclusão de temas referentes ao patrimônio histórico e artístico nestas atividades as estimula a descobrir na prática o significado de patrimônio e por que é necessário preservá-lo.

O IPHAN e o Instituto Carijós integram o grupo gestor da Praia do Forte, responsável pelas discussões e buscas de resoluções para os problemas da região. A oficialização da parceria “contribui para a evolução do trabalho e para o aprimoramento do processo educacional do Instituto”, comenta Débora.

Segundo Cristiane Galhardo Biazin, arquiteta e urbanista do IPHAN, a união do conhecimento ambiental com o patrimonial nas atividades educacionais é de grande importância. “As pessoas só passarão a valorizar o patrimônio que elas e o município possuem no momento em que conhecerem o assunto. A educação é a melhor ferramenta para a tomada desta consciência”, diz.

Instituto Carijós Pró-Conservação da Natureza
(48) 3282-9337
http://www.institutocarijos.org.br