planetaImagens Web

Ontem à tarde, recebi o vídeo que segue abaixo. Pouco tenho a dizer sobre o que vi, pois acredito que as imagens falem por si. Planeta Terra, nosso lar. Fomos nós que o batizamos assim. Nome perfeito. Não poderíamos ter escolhido melhor.

Temos esta consciência, de que a Terra, denominada assim por nós, é a nossa casa? A humanidade é uma espécie privilegiada. Quem recebe de presente a oportunidade de desfrutar deste canto do universo é, certamente, um ser abençoado. Pelo que ou por quem eu não sei. Eu diria que pela vida.

No entanto, de um século para cá, pouco mais do que isso, descobertas, inventos e engenhocas transformaram o nosso ambiente de tal maneira que a impressão é a de que nós, seres humanos, perdemos o controle. Ambição, ganância, dinheiro, poder, o conceito desenfreado de progresso em nome de mais progresso, de mais dinheiro e de mais poder. Surge deste brainstorm o vínculo globalizado dos sete continentes no encalço do desenvolvimento. Chegamos ao coeficiente de todos estes ideais e o que queremos agora é mais. O que está acontecendo conosco? Ok, o progresso faz parte do nosso amadurecimento e cito tal palavra com intenção abrangente.

O revoltante é a utilização irregular dos recursos naturais. Esta atitude é inconcebível. Houve um surto coletivo em nome do ter. Ligamos o automático e nada de feio. Onde é que isso vai dar? Para quem estamos legando o turbilhão de ímpeto devastador?

CriançasNão venham me dizer que não sabemos o que estamos fazendo. A partir de agora, após o reconhecimento dos limites do planeta, nós sabemos. Ecologia, meio ambiente, preservação, sustentabilidade e tantas outras palavras foram criadas por nós para darmos significado a esta série de ações e a novas possibilidades de construção de um mundo e de uma história diferente. O que queremos para nós? O que deixaremos para nossos filhos? Deixo a pergunta no ar. Que ela sirva para gerar reflexão.

*Trecho extraído do filme The Secret.

 

Aproveito a deixa para publicar na página:

1.

2.