Hoje pela manhã, escrevi o depoimento a seguir como colaboração para o blog das Pedalinas, coletivo feminino de Ciclistas de São Paulo do qual sou a mais nova integrante. Na verdade, somos eu e mais algumas mulheres a dar as primeiras pedaladas na capital paulista. Deixei as participantes mais antigas do grupo à vontade para utilizarem o material da forma que melhor lhes parecesse. O resultado, para a minha alegria, foi um convite para eu integrar o hall de autoras da página do coletivo. Depois de receber um presente como este, fiz questão de produzir o meu primeiro post para o Pedalinas. Disponibilizo parte do conteúdo aqui para os leitores da macaca. Quem quiser, confira também.

Ciclistas experientes promovem oficina para grupo de 12 pessoas com o objetivo de estimular a autonomia da mulher no trânsito


DEPOIMENTO

Comecei a utilizar a bicicleta como meio de transporte urbano em março de 2011, em Florianópolis, cidade onde morava. Da Ilha, eu iniciei uma pesquisa intensa sobre o movimento ciclístico de São Paulo, já que estava em processo de mudança para a capital paulista. Foi quando descobri o coletivo e entrei em contato com as meninas, que me receberam de braços abertos. No sábado passado, dia 28 de maio, participei, pela primeira vez, de uma oficina promovida pelo grupo. Com o tema Pedalando na rua e Traçando caminhos, as ciclistas mais experientes apresentaram para cerca de 12 mulheres, entre veteranas e iniciantes, dicas sobre postura no trânsito, direção defensiva, mapeamento de ruas e avenidas alternativas para trajeto, opções intermodais e uso de ferramentas como Google Maps e Bikely para traçar rotas pela cidade.  Penso que a oficina foi um espaço de troca de informações, aprendizado e integração muito útil e fundamental para todas as participantes. Por meio de encontros como o de sábado, eu irei adquirir a segurança e os conhecimentos necessários para enfrentar sozinha o trânsito de São Paulo. A meta é vencer, a cada dia, uma barreira para conquistar o meu espaço como cidadã e usuária da bicicleta na cidade. Não será uma tarefa fácil, o desafio é grande, os perigos são reais, os motoristas desrespeitosos, mas esta foi uma escolha que fiz para a minha vida – uma das mais verdadeiras e belas – e não acho justo abrir mão do que sou e quero para mim e para o mundo por conta da imposição de uma cultura de mercado motorizada. As Pedalinas são peça decisiva na construção deste sonho. Obrigada meninas. Vamos em frente. Até a próxima.

Flyer da Oficina

Anúncios