Man in Profile

maio 27, 2016

Foto Arquivo The New Yorker

Joseph Mitchell outside Sloppy Louie’s restaurant with Louis Morino, the subject of Mitchell’s 1952 <i>New Yorker</i> profile ‘Up in the Old Hotel’O texto é antigo, mas indico fortemente. A legenda abre com duas qualidades imprescindíveis em um repórter: precisão e paciência. Precursor do new journalism, mestre da arte de gastar sapatos, Joseph Mitchell foi um dos jornalistas mais talentosos da The New Yorker. Os seus McSorley’s Wonderful Saloon, Up in the Old Hotel e Old Mr. Flood são verdadeiros marcos da reportagem do século XX.

O mistério sobre o seu silêncio atravessou décadas após o lançamento de sua obra-prima, em 1964. Começou a ser revelado nos anos 2000, em textos inéditos de Mitchell publicados pela própria The New Yorker. O material foi descoberto pelo escritor Thomas Kunkel, que lançou a biografia do jornalista, Man in Profile: Joseph Mitchell of The New Yorker, em 2015. Eu sou suspeita para falar, mas tem um trecho de um artigo que li sobre ele há anos e que nunca saiu da minha cabeça. Chamo de pura revolução.

Em seu Becoming part of the city, Mitchell revela algumas facetas como a obsessão por perambular. “Visitei e fucei as centenas de vizinhanças que compõem a cidade, Manhattan, Brooklyn, Bronx, Queens e Richmond – para isso, tomava de 15 a 20 ônibus todos os dias.” Como disse V. H. Brandalise, “em tempos de tantas mudanças, apurar o olhar sobre o que permanece – e tentar entender porque permanece – é um exercício de compreensão a respeito de nós mesmos.”

Ainda sobre Mitchell, recomendo também o The Master Writer of the City, de Janot Malcolm.

 

Anúncios