Clique na imagem abaixo e confira o texto Mulheres, bicicletas e fundamentalismos, do jornalista Daniel Santini, sobre o fato das mulheres iranianas serem proibidas de andar de bicicleta. A forma com que o autor aborda o tema é forte, lúcida e bela. Fico muito feliz em saber da existência de jornalistas com uma percepção aguçada, inteligente e profunda, que não lêem pelas bordas, que não enxergam pela superfície, que se colocam no lugar do outro, que vão além do seu eixo dentro de um mundo gerido por estigmas e pela cultura do medo, conceitos pilares para a criação de guerras pelo lucro. Fiquei emocionada com o que li. Parabéns Daniel.

As bicicletas do Irã

abril 9, 2011

Olha que ensaio fotográfico fantástico eu encontrei no blog Outras Vias, do jornalista Daniel Santini. A matéria mostra o uso da bike por iranianos como meio de transporte urbano. Segundo Santini, os ciclistas do país enfrentam um trânsito mais caótico e perigoso que o de São Paulo. Confira.

O jornalista publicou, também no Outras Vias, a reportagem Trânsito padrão Teerã. O relato apresenta ao leitor a sua visão – de repórter e de cidadão que optou pela bicicleta -, sobre um problema grave que se alastra e toma conta de capitais como a do Irã: a mobilidade urbana. Não há dúvida de que a cultura do automóvel e a falta de investimento público em alternativas de transporte inteligente, limpo e saudável para a população se transformaram em comportamento padrão no mundo inteiro.