Paragens

novembro 21, 2014

Paris, 8 de novembro de 2014

 

Uma das horas que mais gosto do dia é o cair da tarde. Na volta para casa, sempre paro na beira do Sena, sento num banco qualquer, ouço a música que vem das ruas – há diversos artistas bons tocando sobre as pontes, na frente de igrejas, dentro das estações de metro – e me deixo levar pelos ares leves de Paris. É uma cidade ritmada, sem sobressaltos, porém intensa em cada pequeno detalhe. Quanta poesia enxergo dali, do canto que escolhi para sossegar. Há tanta vida ao redor. Tanta força histórica e de histórias a passar por mim – um pra lá e pra cá de gente em seus mundos. Pessoas de todas as partes. De repente, a lua surge imensa e amarela. Em seguida, um rapaz se aproxima. Ele traz uma garota pela mão. Ambos param para admirar o cenário típico de outono. Abraçam-se! Silencio. Dizer o quê? É Paris. Ô, se é!

 

Luar sobre o Sena

 

Instante que remete à adorável Françoise Hardy. Voilà!

 

 

Um lá

novembro 21, 2014

Roma, 18 de outubro de 2014

Foto Mimmo Fabrizi

 

Último dia na capital italiana e me invade a certeza de que caminhar é o verbo que melhor se encaixa a descobertas. Quanto mais se anda, mais se aprende, compreende, deixa estar. Roma é uma cidade muito viva! Há tanto pelas ruas que se perder é apenas um pretexto para se encontrar. Suas cores, sua intensidade, sua alegria tomam conta desde o primeiro passo. O tempo inteiro me deparo com becos. Estão por toda a parte pequeninos, bem guardados. São como um respiro em meio ao caos cosmopolita. Quem os habita conhece de perto o significado da palavra aconchego. Foi batendo perna que esbarrei com este lugar. Tempos depois, lá estava ele registrado em postal. Comprei na hora. Linda imagem que seguirá rumo ao Brasil nos próximos dias junto com outras mais. Amigos, aguardem-me na caixa de correio…

 

Roma