Reciclagem

setembro 7, 2010

O meio ambiente é pauta de discussão em praticamente todos os países do mundo. A falta de um planejamento na utilização dos recursos naturais do planeta tem apresentado resultados drásticos à sociedade. Estratégias globais para o alcance de qualidade de vida integram desenvolvimento e sustentabilidade.

Minha trajetória como repórter inclui o contato com projetos, cujo foco de trabalho é a conservação da natureza. Já entrevistei empresários, políticos e ambientalistas, conheci programas de educação ambiental e escrevi matérias sobre iniciativas as mais diversas. Para o Jornal Imagem da Ilha, em 2007, eu produzi textos para a seção Eco Floripa do Bem. A finalidade do espaço era a divulgação de projetos envolvidos com a causa ambiental na capital catarinense.

Como faz anos que circularam estas edições, decidi trazer uma das matérias à tona com o objetivo de mostrar aos meus leitores os trabalhos desenvolvidos em Florianópolis, as pessoas que estão à frente deles e o quanto a participação da comunidade faz a diferença na luta por um mundo melhor.

__________________________________________

* A matéria a seguir foi publicada originalmente na 2ª edição de abril de 2007 do Jornal Imagem da Ilha.

NADA SE PERDE, TUDO SE TRANSFORMA

Óleo de cozinha utilizado pelos restaurantes da Capital é reciclado

A coleta e a reciclagem do óleo de cozinha utilizado nos restaurantes de Florianópolis contribui para a preservação ambiental, gera renda e resulta na fabricação de produtos como sabão e fertilizante a partir de resíduos da gordura vegetal. O Programa Reóleo – uma iniciativa da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) – surgiu em 1998 após integrantes da Câmara da Mulher Empresária, um núcleo da entidade, constatarem o afloramento de esgoto na Avenida das Rendeiras (Lagoa da Conceição). O excesso de gordura utilizada pelos estabelecimentos comerciais da região era jogado diretamente na água. O trabalho teve início no bairro da Lagoa com o cadastramento de sete restaurantes locais. Já são nove anos de atuação na luta pela conservação da natureza e pelo reaproveitamento do óleo usado nas cozinhas de restaurantes, hospitais, shoppings e hotéis da Ilha e do Continente. Hoje, 164 empresas do segmento participam do programa.

A coordenadora técnica do Reóleo, Marina Ballão, esclarece que toda a gordura vegetal usada nas cozinhas destes estabelecimentos é reaproveitada. “Os resíduos coletados passam por um processo de reciclagem, sendo transformados em sabão e fertilizante. O custo é zero para os associados ao Programa e os benefícios para proprietário, comunidade e profissionais que reciclam a matéria-prima são diversos” ressalta. A rota de coleta dos resíduos é percorrida a cada 15 dias.

Empresas cadastradas recebem uma quantidade de “bombonas” para armazenar o óleo que utilizam durante a

Empresa associada ao Reóleo se localiza em área de influência de Unidade de Conservação

quinzena. Após o período determinado, caminhões recolhem os recipientes cheios e os encaminham para o reservatório da Companhia Melhoramentos da Capital (COMCAP), localizado no Centro. Cerca de 40 toneladas de óleo são coletadas por mês em Florianópolis, número que tende a aumentar com o vertiginoso crescimento pelo qual a cidade vem passando.

A Ambiental Santos, parceira da ACIF no Programa, é a responsável por recolher e reciclar os resíduos que são transportados até usina situada em Itaperuçu (PR), local em que se realiza o manuseio da gordura. O processo de reciclagem consiste em classificação (vistoria para identificar o tipo de óleo e detectar objetos estranhos ou lixo), lavagem (o óleo é lavado para retirada dos sais, cloretos e contaminantes) e uma nova classificação (para identificar características químicas). Por fim, o resíduo é filtrado e encaminhado para a confecção de outros produtos.

Algumas das matérias-primas resultantes do processo são desmoldante para construção civil, desmoldante para asfalto, desmoldante para indústria madeireira, lubrificante para corrente de motosserra, óleo vegetal aglutinante para indústria de fertilizantes, óleo classificado para sabão em pedra, entre outros. Toda a cadeia de resíduos que vem junto com o óleo é reaproveitada. A água contaminada é encaminhada para a estação de tratamento da fábrica, que reutiliza 100% do líquido. O iodo da estação de tratamento é secado em uma estufa e encaminhado para o setor de agricultura orgânica para ser utilizado como adubo.

Marcos Dalcin, diretor da Ambiental Santos, afirma que todos os produtos reciclados são vendidos pela empresa. “O consumidor final não se preocupa com o fato de usar um produto reciclado. Ele é eficiente e isso é o que importa”, diz.

Veneno para a natureza

São incontáveis os danos causados pelo óleo ao meio ambiente. Trata-se de um produto não degradável que em contato com o biosistema aquático se espalha, recobrindo a superfície da água. A gordura vegetal é matéria orgânica e estimula a proliferação de algas, que crescem desordenadamente impedindo a troca de gases entre a atmosfera e a água e provocando a mortandade de peixes e outros animais. O resíduo causa também o entupimento da tubulação da rede de esgoto e o consequente transbordamento da água poluída. O mau cheiro é outro fator relevante.

Educando para o meio ambiente

O trabalho de educação ambiental integra o Programa Reóleo. Desde 2002, mais de 3 mil crianças entraram em contato com o projeto em toda a Capital. Outra meta é a criação de ecopostos, cujo objetivo é a manutenção da coleta doméstica. “Queremos conscientizar a população. Recolher e reciclar o óleo tanto nos estabelecimentos comerciais quanto nas residências dos bairros da Ilha é uma alternativa ecologicamente correta e que traz benefícios para todos. Temos o apoio da Vigilância Sanitária e as pessoas se manifestam positivamente. Os resultados têm sido satisfatórios”, comenta a coordenadora técnica do Reóleo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: