Como fazer a diferença?

junho 5, 2010

Na semana passada, uma amiga comentou no post A Amazônia e a “MP da Grilagem” sobre o quanto é importante que façamos a nossa parte no dia a dia para que o planeta sobreviva aos séculos de devastação causada pela humanidade.

Hoje é o dia mundial do meio ambiente. Nada poderia ser mais natural do que eu estar aqui para trazer aos leitores do meu blog algumas dicas sobre como preservar a natureza partindo de ações cotidianas. Para fazermos a diferença, precisamos agir local e pensar global. Lembrem-se, pequenas ações geram grandes impactos.

Uma conduta sustentável exige que você:

1. Separe o lixo e se informe sobre o serviço de coleta seletiva da sua cidade.

Existem regiões do Brasil que infelizmente ainda não possuem o serviço. Caso o seu município pertença à lista de beneficiados, participe.

Como separar o lixo?

Existem basicamente três tipos de lixo: orgânico, seco ou reciclável e rejeito (este é composto por papéis como o toalha, o higiênico, o guardanapo e similares; chiclete, filtros de cigarro, etc.) Os técnicos em educação ambiental costumam esclarecer aos alunos das classes em que atuam que o lixo rejeito é aquele que não tem jeito. Ou seja, estes resíduos serão impreterivelmente levados para o lixão.

O lixo orgânico, como define o nome, inclui todos os tipos de matéria orgânica – alimentos em geral, restos de comida. Quando acumulado ou disposto de forma inadequada, ele se transforma em um grande poluidor do solo, da água e do ar, além de se tornar um criadouro de organismos causadores de enfermidades ao homem. Os resíduos sólidos podem ser utilizados em processos de compostagem. Com a inversão do quadro,  ele passa de agressor à ferramenta para a fabricação de adubos, produção de combustíveis, etc.

Um conselho importante para pessoas que possuem animais domésticos: não joguem o cocô do seu bicho dentro do lixo reciclável, pois isso poderá gerar o possível descarte de itens que seriam bem aproveitados pelos profissionais que trabalham com a reciclagem.

O lixo seco, por sua vez, é composto por materiais como papel, exceto aqueles tipos citados acima, plástico, vidro, metal, tecidos, madeira, borracha, etc.

Utilizamos, em nosso cotidiano, objetos que não se encaixam aos tipos de lixo em discussão. As pilhas, por exemplo, são resíduos que devem ser inseridos dentro do que chamamos de lixo tóxico. Elas possuem em sua estrutura o mercúrio. O que fazer com elas? Informe-se sobre os postos de coleta de lixo tóxico da sua cidade.

2. Economize água.

Ela é um bem precioso e não deve ser utilizada de modo leviano. Tome banhos rápidos e preferencialmente de chuveiro. Use as máquinas de lavar roupa e louça somente quando elas estiverem cheias. Dê a descarga do vaso sanitário apenas quando terminar de fazer as suas necessidades fisiológicas (cada toque no mecanismo desperdiça 12 litros de água potável). Não lave calçadas e varandas com a mangueira. Utilize, em vez dela, baldes com quantidade racional  de água para realizar a tarefa. Quem tem piscina pode reaproveitar a água descartada nos dias de troca para fazer a limpeza da área externa da casa ou do prédio. Não deixe a torneira aberta enquanto estiver escovando os dentes ou lavando a louça na pia, etc.

3. Economize energia.

Troque lâmpadas incandescentes por fluorescentes. As fluorescentes gastam 60% menos energia e economizam, cada uma, 136 quilos de gás carbônico por ano. Escolha eletrodomésticos de baixo consumo energético. Aparelhos com selo do Procel (nacionais) e Energy Star (importados) são referências na hora da compra. Não deixe os aparelhos em standby. Desligue-os quando terminar de usá-los. A função standby de um aparelho utiliza de 15% a 40% da energia consumida quando o mesmo está em uso. Não deixe as luzes dos cômodos de sua residência acesas quando eles estiverem vazios. No escritório ou ambiente de trabalho climatizado, desligue o ar-condicionado uma hora antes do final do expediente. Em um período de oito horas, isso equivale a 12,5% de economia diária. Para quem ainda utiliza monitores de computadores antigos, o conselho é a troca por monitores com tela de LCD. São muito mais econômicos.

4. Pendure as suas roupas no varal. Ao trocar a secadora pela corda, você economiza 317 quilos de gás carbônico em um período de seis meses.

5. Pesquise, informe-se, leia, procure saber de que maneira você pode agir no seu dia a dia para cuidar melhor do nosso planeta. Seguem abaixo algumas dicas de sites de associações, ONGs e institutos de pesquisa que divulgam na internet dicas sobre como podemos agir para preservar a natureza e garantir o futuro das novas gerações.

Mude o Mundo

Instituto Akatu

Worldwatch Institute

Universidade de São Paulo

Eco Centro

Sociedade do Sol

Cidades Solares

Environmental Solutions do Brasil S.A

WWF Brasil

Caso eu tenha esquecido de mencionar algum item importante ou de citar alguém que trabalhe na divulgação de informações sobre consumo consciente, avisem-me, por favor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: